JUNINHODEXANGO@HOTMAIL.COM EMAIL E MSN

seguir por email Email

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

MOKAN, XAURÔ E IKODIDÉ

Um breve relato do ritual de iniciação no Candomblé, a feitura no Santo, representa um renascimento, tudo será novo na vida do abiã, ele recebera inclusive um nome pelo qual ele passará a ser chamado dentro da comunidade do Candomblé.

A feitura tem por início o recolhimento. Onde o abiã ficara 21 dias de reclusão, neste prazo são realizados banhos, boris, oferendas, ebós, todo o aprendizado começa, as rezas, as danças, as cantigas, etc.
É feita a raspagem dos cabelos (orô) e o abiã recebe o oxu (representa o canal de comunicação entre o iniciado e o seu Orisà) o kelê, os deleguns, o mokan, o xaorô, os ikan, o ikodidé.

O filho e santo terão que passar por um ritual, onde seu corpo será pintado com o efun (giz).
O filho passará por esse ritual durante sete dias seguidos.

O abiã agora terá que assentar seu Orisà e ofertar lhes os sacrifícios de acordo com as características de cada um. Feito isso passa a se chamar de yàwó.

A festa ritualística é o término desse período denominado de saída de yàwó, nesse momento ele será apresentado à comunidade.

Ele será acompanhado por uma autoridade a frente de todos para que sejam rendidas as homenagens.
Sobre uma esteira, ele saudará com adobáe paó, que são palmas dadas a cada reverência feita pelo yáwó e acompanhadas por todos os presentes, como demonstração que a partir daquele momento ele não estará mais sozinho a sua caminhada. Primeiramente saudará o mundo, neste momento a esteira estará direcionada a porta principal da casa. No seu interior, ele saudará a comunidade e por último, frente aos atabaques que representam as autoridades presentes.

O momento mais aguardado do cerimonial é o Orukó. Neste momento o Orisà dirá o nome de iniciação de seu filho perante todos e também é neste momento que se abre sua idade cronológica dentro de sua vida no Santo.

Após a saída e depois dos 21 dias de recolhimento o yàwó permanecerá de resguarde até a queda de kelê fora do barracão por um período de três meses, neste período ele não poderá utilizar talheres para comer, deve continuar a sentar se no chão sobre a esteira durante as refeições, este proibido de utilizar outra cor de roupa que não o branco da cabeça aos pés, não poderá fazer o uso de bebidas alcoólicas, cigarros, etc. E nem tão pouco sair à noite. E até que se complete um ano, seus preceitos continuarão.

Até que o yàwó complete maior idade no Santo, terá que continuar dia a dia o seu aprendizado e reforçar os seus votos por meio dos preceitos.

2 comentários:

  1. Ótimo existir blog's como este para que os "babás' não deixem os princípios do AXÉ se dissiparem como está acontecendo. O AXÉ RAIZ não deve ser esquecido e nem tão pouco ser desviado com práticas errôneas, mudanças de homens. MEUS PARABÉNS. SOU DOFONO D'OMOLÚ, feito na Ilha de Amoreiras-Bahia. Pelo Babalorixá Lindoval (TY YEMANJÁ OGUNTÈ. AXÉ!!!1

    ResponderExcluir
  2. gostaria que fosse expdlicado o significado do mokan e do kele, pois hoje em dia os yao não sabe o que esta usando e nem e desconhece o seu valo

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagens populares